É uma piada. Um órgão público que funciona bem mal. Se eu tivesse que compará-lo a um órgão do corpo humano, eu diria que ele se parece com o apêndice, uma soma de células sem utilidade que só sabe inflamar e causar dor e que quando dói demais a gente tem que retirar.

Entramos na Word Wilde Web, chegamos naquele site gringo bacana, com bugigangas que não são vendidas aqui. Um paraíso. Tipo Disney online. Clicamos, clicamos e compramos. As encomendas chegam no Brasil. Elas vêm lá de onde o tal Judas perdeu as suas botas. China, Índia, Hong Kong. Nossas encomendas, aquelas coisinhas bonitinhas, baratinhas e boazinhas que compramos no Mr. Ali, elas vêm de balsa para nossa terra, demoram cerca de 15 dias. Um tempo razoável, afinal elas cruzam o planeta de BAL-SA. Daí, olha só, elas chegam aqui, mais precisamente em Curitiba – por que a receita federal fica lá, me disseram – e lá em Curitiba elas ficam ad eternum. A gente entra no site lostoffice.br para rastreá-las, digita o código RF#$%#$%, lê Curitiba e começa a suar frio.

Pode esquecer! Tudo que você comprou, se foi em duas, três vezes no cartão, não importa, certeza de que quando ela bater na sua porta você já terá quitado sua dívida com as devidas correções monetárias.

Se você quer comprar aquele negócio que treme a barriga – que dizem que emagrece –, e dar de Natal pra sua tia, eu recomendo que a compra seja efetuada em março, no máximo até o finalzinho de abril.

Tudo funciona para causar irritação. É como se o Brasil tivesse um buraco de minhoca lá na Curitiba. Sem explicação.

Porém, há um lado bom nisso tudo. Mas tem? Ah tem! Quando a sua encomenda chegar, por que acredite, ela tarda mas não falha (geralmente), você terá uma enorme surpresa, afinal ela já havia sido esquecida. É o mesmo sentimento de achar 5 reais no bolso da jaqueta.

Espero que neste ano titia ganhe, finalmente, o seu treme-treme no Natal!