Assim como a música regravada por Nina Simone, o livro de Olivier Bourdeaut, Esperando Bojangles, é uma poesia ao longo de 124 páginas.

Bourdeaut conta a história de uma família que reside em Paris, cujo dia-a-dia não é nada natural ou mundano. Pai, Mãe e filho vivem uma vida de festas, extravagâncias, fantasias e histórias. Georges, o pai, é o responsável por tentar trazer um pouco de ordem ao caos que a Mãe, uma mulher de inúmeros nomes, cria e envolve toda a família. 

A dança, regida por Miss Simone e Mr. Bojangles, a qual o casal, Georges e Marguerite, Renée, Georgette, se entrega quase todas as noites é maravilhosa aos olhos do filho, que narra a história de forma leve e inocente, mas ao mesmo tempo lúcida.

Esperando Bojangles é uma história de amor que retrata a loucura de forma doce. Bourdeaut acerta ao fazer da criança o narrador dessa fantasia,  o ar infantil é perfeito para tocar em um assunto tão delicado e pesado: a loucura da mãe. Aos olhos da criança, o grave problema que a família passa a enfrentar não é tão grave assim. Para o menino, a doença da mãe passa a ser mais uma aventura com pitadas de incêndios, sequestros e dança.

Esperando Bojangles já está na minha lista de livros favoritos.