Hoje encontrei uma pessoa conhecida na rua. Só o vi passar. Ele era meu colega na época de colégio e era uma das pessoas mais engraçadas que já conheci. Tínhamos muitas afinidades. Vê-lo me fez sentir saudades daquela risada leve que a gente compartilhava. Não sei se ele ainda é aquela pessoa que me fazia rir horrores, mas mesmo que seja, não sei se conseguiria me reaproximar. Muito tempo passou e por mais que a gente ache que nunca mudamos, nós não somos nem um terço o que éramos.

Vê-lo me fez bem e me fez querer guardar pessoas especiais num frasco, no mesmo tempo espaço que as conheci. Eu as revisitaria de tempos em tempos e reviveria aqueles momentos. Cruel pra elas, maravilhoso pra mim.

As pessoas que passam pelas nossas vidas, digo as especiais, não deveriam só passar… deveriam ficar… de alguma maneira.

Today I saw a person that I used to know on the street. I just saw him pass. He was my college buddy and he was one of the funniest people I’ve ever met. We had many affinities. Seeing him made me miss that light laugh we shared. I do not know if he’s still the guy who used to made me laugh a lot, but even if he is, I do not know if we could get closer again. A lot of time has passed and no matter how much we think we’ve never changed, we’re not even a third of what we were.

Seeing him made me feel good and made me want to keep special people in a jar, at the same time space that I met them. I would revisit them from time to time and relive those moments. Cruel for them, wonderful for me.

The people who pass through our lives, only the special ones, should not just pass… they should stay… somehow.